logo.png

Dra. Ana Cláudia B. C. Mendes

CIRURGIÃ-DENTISTA (CRO-95415)

Graduação:

  • Graduada pela Faculdade UNIFENAS – ALFENAS

Pós-graduação:

  • Especializada em Odontopediatria pela UNESP – ARARAQUARA.

dra-Ana-Claudia-1.jpg

Exerce a função profissional nos endereços:

  • Santos: Rua Luis Suplicy, nº 35 – Gonzaga – (13) 3223-5689 / 3234-7270.

ODONTOPEDIATRIA

odonto-pediatria-600x338 (1).jpg

A odontopediatria cuida da saúde bucal das crianças. É responsável pela higiene não só das crianças, mas também dos bebês e das gestantes.  É importante que as mães procurem esses profissionais ainda durante a gravidez, enquanto ainda tem um tempinho sobrando, para se informar sobre os cuidados que devem ter a partir do nascimento.

 

O tratamento para crianças requer cuidado especial. Precisam de maior atenção e psicologia para que a visita ao dentista não se torne uma tortura. O ambiente também deve ser descontraído, fazendo com que a criança se sinta confiante.

Desde de 2000 atuando como profissional preparado para cuidar de crianças desde cedo, com conhecimento técnico e abordagem psicológica adequada ao atendimento de bebês, crianças e adolescentes, com o objetivo de educar e promover a saúde oral da criança.

ASSIM PODENDO PREVENIR:

​​​

  • Erosão dental: desgaste acentuado do dente;

  • Cárie dental: doença no dente;

  • Doença periodontal: na fase inicial (gengivite) com a doença na gengiva, e na fase mais severa (periodontite) com doença nos outros tecidos que suportam os dentes;

  • Oclusopatias: alteração no encaixe dos dentes e/ou arcadas;

  • Traumatismos orais: quedas e batidas na boca.

 

Com as visitas regulares cria-se um vínculo de confiança entre a família, o profissional e a criança, tão importante para o sucesso das ações odontológicas preventivas.
Como ação odontológica preventiva, o odontopediatra atua no estímulo da escovação, com orientação da escovação e uso do fio dental.

O que é carie de mamadeira?


É um tipo de cárie que ocorre nos dentes de crianças bem pequenas, geralmente antes dos 2,5 anos.




Como identificar esse tipo de cárie no meu bebê?


Podemos perceber o começo desta cárie quando encontrarmos manchinhas brancas bem pequenas perto da gengiva dos dentinhos.Muitas vezes aparecem buraquinhos perto da gengiva e parece que o dentinho já nasceu estragado.




Por quê acontece esse tipo de cárie?


Por quê acontece esse tipo de cárie?Por que seu bebê deve estar mamando leite açucarado, com farinha, com chocolate, um suco ou chá adoçado muitas vezes ao dia, inclusive a noite sem a devida higienização posterior a cada ingestão de alimento.




E por quê ocorre a cárie?


Porque a boquinha não consegue ficar limpa por muito tempo. Se o bebê está sempre mamando alguma coisa, o dente está sempre em contato com o açúcar.




Se eu encontrar um destes buraquinhos o quê eu devo fazer?


Procurar imediatamente o dentista. O seu bebê deve ser tratado logo, porque esse tipo de cárie aumenta muito depressa, podendo afetar todos os outros dentinhos.




Mas, e se meu bebê mamar somente no peito?


É a mesma coisa. Por isso a cárie de mamadeira é também chamada de cárie de aleitamento ou cárie de peito.
O leite do peito é doce e se a criança mamar “toda hora”, o dentinho vai estar sempre em contato com o leite. Isso não faz bem ao dente.




E se meu bebê mamar somente à noite?


O maior perigo para ter cárie de mamadeira são as mamadas da noite.
Tanto no peito como na mamadeira o dentinho vai ficar “sujo de leite” a noite inteira ocorrendo a cárie.





CÁRIE DE MAMADERIA

crianca.jpg

ODONTOLOGIA EM GESTANTES

A gestante pode receber tratamento odontológico?


Sem dúvida. Em qualquer idade gestacional, ela poderá ser atendida, embora o segundo trimestre seja o momento mais oportuno, pois nessa fase ela se encontra num período de maior estabilidade.




Existem riscos quanto à anestesia local?


Não existe desde que o dentista conheça o efeito dos anestésicos e as alterações que ocorrem durante a gravidez. As gestantes podem apresentar uma elevação da pressão arterial e isso deve ser levado em conta. O dentista, juntamente com o ginecologista, deverá escolher o anestésico apropriado.




A gestante pode ser radiografada pelo dentista?


Pode, porém no primeiro trimestre (período da embriogênese), as radiografias devem ser evitadas.




Dizem que, na gravidez, os dentes “estragam” com mais facilidade. Isso é verdade?


Dizem que, na gravidez, os dentes “estragam” com mais facilidade. Isso é verdade? Não. A gravidez não é responsável pelo aparecimento de cárie e nem pela perda de minerais dos dentes da mãe para formar as estruturas calcificadas do bebê. O aumento da atividade cariogênica está relacionado com alterações da dieta e presença de placa bacteriana pela limpeza inadequada dos dentes.




E quanto à gengiva? Ela se inflama com mais facilidade?


A gravidez também não causa inflamação na gengiva. Apesar de haver uma maior vascularização do periodonto, a gravidez só afeta áreas inflamadas e, não, a gengiva sadia.
Mais uma vez: é a presença da placa bacteriana que causa a gengivite.




Existem cuidados especiais para a higiene bucal?


Os cuidados são os mesmos de uma mulher não grávida: limpeza diária dos dentes com uso adequado da escova e fio/fita dental.
A qualidade dessa limpeza é mais importante do que a freqüência. Se houver algum ponto da gengiva com sangramento, essa região deverá ser melhor higienizada. Se após 3 dias a gengiva continuar sangrando, a gestante deve procurar a ajuda de um dentista.




Quando os dentes do bebê começam a se formar?


Os “dentes de leite” começam a se formar a partir da 6a semana de vida intra-uterina e os dentes permanentes, a partir do 5o mês de vida intra-uterina.
Dessa forma, condições desfavoráveis durante esta fase de gestação (ex.: uso de medicamentos, infecções, carências nutricionais etc.) podem trazer problemas nos dentes em fase de formação e mineralização.




Existe algum fortificante para ser tomado a fim assegurar uma boa dentição para o futuro bebê?


Os “fortificantes” estão numa alimentação balanceada, constituída por diferentes grupos de alimentos (carnes, frutas, legumes, verduras, cereais, leite e derivados). As avitaminoses podem comprometer o desenvolvimento normal dos dentes. Se houver necessidade de vitaminas, o ginecologista determinará a prescrição necessária.




A amamentação é Importante para os dentes do bebê?


A amamentação natural durante o primeiro ano de vida é fundamental para a prevenção de maloclusões. Além da importância afetiva e nutricional, o exercício muscular durante a sucção no seio favorece a respiração nasal e previne grande e parte dos problemas de posicionamento incorreto dos dentes e das estruturas faciais.




E então, o que deve a gestante fazer para que bebê tenha bons dentes?


Antes de tudo, ela própria precisa ter saúde. O nível de saúde bucal da mãe tem relação com a saúde bucal da criança. Os pais, particularmente a mãe determinam muito o comportamento que os filhos adotarão. Hábitos saudáveis são fundamentais como, por exemplo, hábitos de limpeza bucal e de alimentação equilibrada. Uma boa alimentação significa também evitar a freqüência de produtos açucarados. O açúcar natural dos alimentos é suficiente para a saúde da gestante e o desenvolvimento do bebê.




Após o nascimento, quando devo levar a criança pela primeira vez ao dentista?


A primeira visita ao odontopediatra deve acontecer por volta da erupção dos primeiros dentinhos de leite, ocasião em que os pais receberão orientações a respeito das causas e da transmissão da cárie, da alimentação, da limpeza dos dentes do bebê e do uso adequado do flúor. A educação em saúde assegura a chance de a criança crescer sem problemas bucais.





O que é a Odontologia para Bebês?


É uma área da Odontopediatria que cuida de bebês na faixa etária de 0 a 3 anos, tanto na parte preventiva (limpeza, aplicação de flúor e selantes), como na parte curativa (restaurações ,cirurgias e até tratamento de canais).




Qual a ordem de erupção (nascimento) dos dentes de leite?


Por volta dos 6 aos 8 meses de idade, podem surgem os primeiros dentes que são os incisivos centrais inferiores e depois em ordem crescente: os incisivos centrais superiores ( por volta dos 9 meses de idade). os incisivos laterais inferiores ( por volta de 11 meses de idade). os incisivos laterais superiores ( por volta de 1 ano e 2 meses de idade). Seguem-se os primeiros molares decíduos, os caninos e os segundos molares decíduos. Por volta de 2 anos aos 2 anos e meio, a dentição decídua (de leite) estará completa.




Quais os possíveis sintomas que o bebê pode apresentar ao nascerem os dentes de leite?


O bebê poderá apresentar alguns sintomas passageiros durante ou antes do nascimento dos dentinhos. Esses sintomas podem aparecer juntos ou isoladamente. Eles são: salivação aumentada, agitação do bebê durante o sono e em alguns casos pode ocorrer diarréia. A gengiva também pode se apresentar irritada ou ainda com coçeira e para aliviar o possível desconforto, a mãe pode dar ao seu bebê mordedores de borracha para massagear a gengiva e alguns alimentos mais duros.




Se os dentes de leite são temporários, por quê é importante tratá-los?


A presença dos dentes de leite é importante porque prepara o caminho (guia) para o nascimento dos dentes permanentes, o que faz com que haja um equilíbrio harmonioso do crescimento das estruturas da face (dentes, ossos e músculos). Além disso, proporcionam uma mastigação e deglutição adequadas dos alimentos e conseqüente digestão. Um dente de leite comprometido seriamente por um processo de cárie, pode levar à uma infecção, acarretando a má formação do dente permanente. Também, quando nos deparamos com uma criança esteticamente comprometida, percebemos que ocorre dificuldades de comunicação e integração social.
Finalmente, podemos dizer que grande parte dos adultos que possuem algum tipo de trauma relacionado à dentista, tiveram experiências ruins em um consultório odontológico, quando criança. Levando seu filho desde cedo ao dentista, é muito provável que ele se torne um adulto com hábitos de higiene adequados, dentição saudável e sem traumas.




Como fazer a higienização dos dentes do bebê?


É necessário fazer a higienização da boquinha do bebê desde o primeiro dia de vida. A limpeza da boca deve ser feita com uma gaze ou a ponta de uma fralda embebida em água filtrada ou destilada, sempre que a mãe observar que o leite encontra-se estagnado. Quando surgirem os primeiros dentinhos, pode-se utilizar “dedeiras” indicadas pelo Odontopediatra ou uma escova de cerdas macias e arredondadas e ainda, não esquecer do fio dental.




Como se pode prevenir as cáries?


Seguindo as instruções de higienização e levando o bebê de 6 em 6 meses ao odontopediatra. No consultório é feita uma profilaxia (limpeza) dos dentes, aplicação de flúor e selantes. O flúor é um dos grandes agentes na redução da cárie em conjunto com outros métodos de prevenção, tais como a higienização adequada, dieta equilibrada e o consumo de água fluoretada. Entretanto, o flúor ingerido em excesso, por ingestão de pasta de dente ou suplementos alimentares, pode causar manchas e defeitos no dentes do bebê. Por esses motivos seguir as orientações do Odontopediatra são fundamentais.Outro método de prevenção de cáries são os selantes, que são “vernizes” que impermeabilizam as reentrâncias dos dentinhos, dificultando assim a retenção de restos alimentares e a evolução da cárie.





BEBÊS TAMBÉM VÃO AO DENTISTA

Em relação ao tratamento odontológico, este consiste na técnica de profilaxia dentária seguida de aplicação de flúor e selante nos dentes molares, para que se evite a instalação da doença cárie.

SELANTE.png

O tratamento para cárie, quando esta já está instalada, pode ir desde uma simples restauração até casos mais graves, como tratamento de  canal e prótese.

carie.png

Cárie instalada

coroas.png
canal.png

Tratamento de canal.

Tratamento com coroas pré-fabricadas.

Como vemos, temos inúmeros tratamentos reabilitadores, porém a prevenção ainda é o melhor remédio.

Por isso ao aparecer o primeiro dente de leite ou até o primeiro aniversário de vida, o bebê deve visitar preventivamente o odontopediatra.

Captura-de-Tela-2019-03-06-às-15.26.18.p